Historial – Banda Paroquial de São Lourenço da Camacha

A Banda Paroquial de São Lourenço da Camacha foi fundada a 10 de agosto de 1973, pelo Reverendo Padre António Joaquim Figueira Pestana Martinho. Única Banda Paroquial do país, toma na sua designação a referência ao padroeiro da freguesia da Camacha. Ainda naquele âmbito, os seus Estatutos foram por Decreto de 19 de março de 2002 aprovados por sua Excelência Reverendíssima D. Teodoro de Faria, então Bispo da Diocese do Funchal, que ratificam a existência da pessoa coletiva religiosa Banda Paroquial de São Lourenço da Camacha como pessoa moral, canonicamente ereta, em harmonia com os artigos 3º e 4º da Concordata entre Portugal e Santa Sé.
Tendo solicitado aos paroquianos a oferta de donativos para a aquisição do instrumentário, e garantindo ainda espaços condignos para a realização de aulas e ensaios, entre 1971 e 1998, na garagem da antiga Casa Paroquial, e de 1998 a 2001, em algumas das salas da Igreja Matriz da Camacha, o Pároco António Martinho designou como iniciais diretores artísticos e coordenadores da escola de música Raul Gomes Serrão e o seu sucessor José da Costa Miranda. Convidado a 21 de setembro de 1970, Serrão serviu tal ensejo dos camacheiros desde 25 de Janeiro de 1971, tendo naquele dia acolhido numa primeira apresentação pública oitenta e dois aprendizes, dos quais – seguramente, em vista do instrumentário disponível, adquirido então pelo Pároco em França – selecionou dezoito, mantendo as aulas de formação aos demais alunos. Transferido em junho de 1973 para Luanda, Serrão foi sucedido por Costa Miranda, que ali serviu desde 16 de Junho de 1973 a 1976, cabendo-lhe o prestígio de reger a nova coletividade na sua primeira apresentação pública, a 10 de Agosto de 1973, e a autoria do Hino da Coletividade e da Marcha da Fundação. Ao esforço incansável do Padre Martinho e ao labor assíduo de Serrão e Costa Miranda se deveu a formação musical e a prática artística das comunidades camacheiras, e, numa posição inédita na época, o ingresso de mulheres em efetivos de banda, que em muito contribuiu para rebater anacrónicos preconceitos de menor competência ou decoro que limitavam a prática musical feminina em instrumentos de sopro e percussão. Até ao dealbar da segunda década do século XXI, tomaram a direção artística músicos formados naquela filarmónica: de 1979 a 1984, e entre Fevereiro e Maio de 2008, assumiu a regência Fernando Eleutério Nóbrega Teixeira; José Manuel Teixeira serviu como maestro entre Junho de 1988e Dezembro de 1998 e entre Outubro de 2005 a 2008; Lino Gonçalves Fernandes foi diretor artístico de Janeiro de 1999 a Janeiro de 2005; e de 2008 a 201- João Ilídio Teixeira Oliveira tomou a regência da Banda Paroquial de São Lourenço da Camacha.
Pelo esforço dos elementos diretivos da coletividade, do Pároco Reverendo Padre João Ferreira e, mormente, do então Presidente da Câmara Municipal de Santa Cruz, Dr. José Savino dos Santos Correia, foi financiada a construção, por protocolo celebrada entre a edilidade e a Direção Regional de Assuntos Culturais (DRAC), a nova sede social da Banda Paroquial de São Lourenço, sita à Calçada do Moinho, nº 2, inaugurada pelo anterior Presidente do Governo Regional, Dr. Alberto João Jardim a 12 de Dezembro de 2001.
Em testemunho da gratidão dos executantes e associados da Banda Paroquial de São Lourenço da Camacha, se inaugurou a 10 de agosto de 2005 o busto do fundador Reverendo Padre António Martinho, da autoria do escultor António Rodrigues, na sede social da Banda, por ocasião da celebração das suas Bodas de Ouro Sacerdotais e septuagésimo quinto aniversário. Aquando da efeméride do 33º aniversário, em 2006 se editou, com patrocínio da Câmara Municipal de Santa Cruz o opúsculo 33 Anos de Tons e de Sons sobre a história e atividade da coletividade. Luís Adelino Nóbrega Rodrigues, autor dos Estatutos vigentes e mentor da nova sede social, foi, pelo seu notável empenho e estremada dedicação, homenageado no 35º aniversário da Banda Paroquial de São Lourenço da Camacha.
Presença assídua em festividades religiosas e festas populares em várias das paróquias da Ilha, em cerimónias oficiais e cívicas, em eventos promovidos por unidades hoteleiras ou por instituições de solidariedade social e em concertos em várias das cidades da Madeira e em Porto Santo, a Banda Paroquial de São Lourenço da Camacha promoveu ainda um conjunto significativo de intercâmbios com bandas filarmónicas nacionais, tendo-se deslocado em Setembro de 2001, a Fermentelos (Águeda), em cooperação com a Associação Cultural e Recreativa Banda Nova de Fermentelos, e, por convite, às freguesias de Arrentela e Fernão Ferro; em 2002, a Marrazes, em intercâmbio com a Banda de São Tiago de Marrazes; em 2006, a Vila Franca do Campo (São Miguel, Açores), em visita à Banda União Progressista; em 2007, a Vila Cova do Alva (Arganil, Coimbra), em parceria com a Filarmónica Sociedade Flor do Alva; em 2008, foi acolhida pela Sociedade Musical Euterpe em Portalegre e em 2010 visitou a Banda Academia de Santa Cecília, de São Romão (Seia, Guarda).
Em 2010, gravou a Banda Paroquial de São Lourenço da Camacha o seu primeiro registo fonográfico, intitulado ComPassos, com o exclusivo mecenato de Michael John Blandy (Grupo Blandy). Dois anos volvidos, e com patrocínio dos emigrantes camachenses radicados na África do Sul José Egídio Cardoso e Manuel Humberto Cardoso, a coletividade editou o seu primeiro DVD – denominado Som da Nossa História.
Desde a sua fundação, esta associação desenvolve um papel importante na Vila da Camacha, cativando os jovens e menos jovens para o salutar gosto pela música e pela arte musical. Hoje alicerça um projeto numa Escola de Música ativa e dinâmica, em plena atividade, garantindo o futuro, a continuidade de naipes e fileiras de novos músicos. Atualmente a Direção artística da Banda está a cargo do Maestro Heliodoro Ferreira.

Fonte: http://www.bandasfilarmonicas.com/cpt_bandas/banda-paroquial-de-sao-loure

Comece a escrever e pressione Enter para pesquisar