Historial – Banda Recreio Camponês

A Banda Recreio Camponês (B.R.C.), mais conhecida por “Banda Nova”, foi fundada a 1 de Dezembro de 1910, em Câmara de Lobos.

José Gonçalves de Freitas foi o fundador da Banda Recreio Camponês. Freitas nasceu a 27 de Agosto de 1884 e era natural de Câmara de Lobos. Comerciante no ramo de mercearia, [Girão Revista, nº 3, 2º semestre, 1989, p. 93] iniciou a sua formação musical na Banda Recreio dos Lavradores (Banda Municipal de Câmara de Lobos) pelo Sr. Noronha, no instrumento de Requinta. Atendendo que existiam desentendimentos na Banda Recreio dos Lavradores, José Gonçalves de Freitas fundou a Filarmónica Recreio Camponês (atualmente Banda Recreio Camponês) em 1910, quando tinha 26 anos.

Inicialmente a banda era composta por dez ou doze elementos sendo que poucos anos depois já contava com mais de 20. [Silva, Tito A., 1985.: “75 anos da Banda Recreio Camponês de Câmara de Lobos”]

A primeira sede desta banda foi no sítio do Caminho Grande e Ribeiro d’Alforra, conhecido popularmente como “Escalracho”. Esta sede, e lugar de ensaio, com cerca de 10 metros, foi emprestada pelo Sr. Francisco Gonçalves de Freitas, pai de José Gonçalves de Freitas, durante 10 anos.

“Foi com umas tábuas, que faziam de estante comum, uns bancos de madeira, de diversos tipos e feitios e sem qualquer estrado que elevasse o chefe, que aqueles que se iniciaram…” [Silva, Tito A., 1985.: “75 anos da Banda Recreio Camponês de Câmara de Lobos”]

A primeira atuação pública em arraiais foi a 1 de Janeiro de 1911, no Estreito de Câmara de Lobos, numa festa em honra do Senhor Jesus. [Girão Revista, nº 3, 2º semestre, 1989, p. 93]

O fundador da B.R.C. faleceu a 30 de Novembro de 1913, com 29 anos, reconhecido como um homem muito estimado e respeitado, não só pelos elementos da sua Filarmónica como pelos muitos simpatizantes da banda.

A B.R.C esteve desde sempre presente e acompanhou festas populares e religiosas, como foi o caso da Procissão dos Passos do Salvador, no dia 22 de março de 1914, e da Festa do Espírito Santo, a 31 de maio de 1914, em Câmara de Lobos, sob a regência do Sr. Guilherme Honorato Lino.

Desde a sua fundação, a B.R.C. enfrentou algumas dificuldades. Além das tentativas que sofreram de destruição da banda e o falecimento prematuro do fundador, criou-se uma barreira entre os elementos e simpatizantes das duas bandas então existentes em Câmara de Lobos: Filarmónica Recreio dos Lavradores e a Banda Recreio Camponês. Enquanto a Filarmónica pretendia terminar com a mais recente banda, esta por sua vez lutava pela sobrevivência:

“Se tivermos em conta que, até à data da fundação da B.R.C., só existia uma banda no concelho de Câmara de Lobos (B.M.C.L.) e por isso era essa banda que recebia todas as atenções tanto das entidades oficiais, como de particulares e do público em geral, facilmente compreenderemos o esforço que foi feito, tanto por elementos dessa banda como por adeptos seus, no sentido de matar à nascença uma sua rival que lhe iria tirar, não só serviços, como parte do apoio e regalias que até aí vinham desfrutando”. [Silva, Tito A., 1985.: “75 anos da Banda Recreio Camponês de Câmara de Lobos”]

Entre provocações, ameaças, despiques musicais e até confrontos físicos, o encontro das duas bandas em animações ao livre era por norma tenso, ora apoiado ou reprovado pelos simpatizantes de ambas as bandas.

Dez anos após a fundação, em 1920, a B.R.C. seria composta por cerca de 30 elementos e estava divida em duas bandas. Atendendo que cada divisão era por costume ser composta por 15 músicos, a B.R.C. era assim já considerada como uma banda de bom nível artístico. [Silva, Tito A., 1985.: “75 anos da Banda Recreio Camponês de Câmara de Lobos]

Em 1924 a Banda Recreio Camponês festeja 14 anos e para celebrar esta data a comissão dirigente organizou uma missa cantada na igreja Paroquial de Câmara de Lobos. Segundo a imprensa local, a banda e os convidados usufruíram um convívio na residência do Sr. Manuel Joaquim Lopes, no sítio de Jesus Maria José. Foi ainda neste dia de aniversário que foram apresentados os novos fardamentos e estreada a nova bandeira, que foi oferecida à B.R.C.

Posteriormente a sede da Banda Recreio Camponês muda-se para a casa de José dos Santos, localizada no Lagar das Giestas, no sítio da Quinta do Leme, no dia 13 de fevereiro de 1927, tal como foi noticiado na imprensa local. Em dezembro de 1936 a sede da B.R.C. transfere-se novamente, desta vez para as instalações que hoje ocupa.

A 29 de novembro de 1989 foi assinado um protocolo entre a B.R.C. e o Governo da Região Autónoma da Madeira. Este protocolo assinado pelo Dr. Alberto João Jardim, presidente da Região Autónoma da Madeira, e José Manuel de Faria, presidente da direção da B.R.C., permite à banda deter a sua própria sede, titulando assim a transmissão do prédio rústico e urbano, situado na Quinta do Leme. Nesta altura a B.R.C. era composta por 45 executantes e 25 aprendizes.

Hoje a sede dispõe de um espaço reservado para instruir jovens que iniciam a sua carreira musical, a Escola de Música da Banda Recreio Camponês, Para tal, a escola disponibiliza instrumentos para todos os alunos usarem durante as aulas que são orientadas por elementos da Banda Nova.

A banda é atualmente formada por cerca de 55 elementos de ambos os sexos.

A Banda Recreio Camponês é constantemente requisitada para atuações na Região Autónoma da Madeira e já representou esta região em território nacional, como no II Encontro de Bandas em Portalegre (1989) e Expo 98 (1998). A Banda já esteve também na Região Autónoma dos Açores, no V Festival de Banda de Fenais da Luz (1997) e participou no intercâmbio com a Banda Lira Nossa Senhora da Estrela (2007).

Estatuto: A 21 de junho de 1979, o Governo Regional da Região Autónoma da Madeira atribuí à Banda Recreio Camponês o estatuto de Coletividade de Utilidade Pública, pela promoção da arte musical e recreativa de acordo com os interesses dos seus associados e da população em geral.
Louvor: A 16 de outubro de 2011 recebe o Louvor público por parte da Câmara Municipal de Câmara de Lobos.

Bibliografia:
Freitas, Manuel Pedro, Câmara de Lobos, Dicionário Corográfico, Câmara de Lobos, sua gente, história e cultura, Edição electrónica www.concelhodecamaradelobos.com/dicionario/banda_recreio_campones.html.
Sardinha, Vítor & Camacho, Rui, Rostos e Traços das Bandas Filarmónicas Madeirenses, DRAC, 2001.
Site Oficial da Banda Recreio Camponês: www.bandarecreiocampones.com.
Silva, Tito A., 1985.: “75 anos da Banda Recreio Camponês de Câmara de Lobos.
Diário de Notícias, 22 de Março de 1914, “Notícias Religiosas”, p. 2.
Diário de Notícias, 29 de Maio de 1914, “Notícias Religiosas”, p. 2.
Diário de Notícias, 13 de Fevereiro de 1927, “Banda Recreio Camponez”, p. 2.
Diário de Notícias, 09 de Julho de 1989, “Banda Recreio Camponês Participou no II Encontro de Bandas de Portalegre”, p. 6.
Jornal da Madeira, 06 de Dezembro de 1924, “Filarmónica ‘Recreio camponês’”, p. 2.
Jornal da Madeira, 30 de Novembro de 1989, “Banda Recreio Camponês assinou protocolo com o Governo para adquirir a sua sede”, p. 13.
Jornal da Madeira, 20 de Julho de 1997, “Viagem aos Açores Ultrapassou Expectativas”, p. 11.

Comece a escrever e pressione Enter para pesquisar